Nem tudo

NEMTUDO

Nem tudo o que brilha é verdadeiro

Nem tudo o que se vê é real

Nem todo o peixeiro é barraqueiro

E nem todo o moralista é leal

Nem tudo o que dói é amor

Às vezes é só dor

Ou desilusão.

Nem tudo o que pensamos é verdade

E há que confirmar a informação,

Esquecer um pouco o coração

E ouvir a razão e a idade.

Outras vezes basta ver o óbvio

E alimentar a alma de ódio

Há que ter respeito pelos outros

E enfrentar a cobardia

Para não virarmos monstros

É preciso valentia.

Nem tudo o que se sente é puro

Nem todo o pavimento é duro

Nem todos os fins justificam os meios

Mas todas as colheitas dão frutos.

PGM C