A loucura entre vírgulas

Vírgula

Ai ai! Minhas caras vírgulas, deixem de ter tanto a mania. Deixem de causar-me tantas dores de cabeça, dúvidas e dilemas existenciais, cada vez que procuro ter belos momentos a sós com as palavras. Aliás, a sós é a minha fantasia! Porque, na realidade, vocês nunca deixam, estão sempre a meter-se entre as palavras (literalmente).

Acham sempre que merecem mais atenção que as palavras e que são vocês quem lhes dá sentido. Quanta petulância! Quanta arrogância! Acham que uma pessoa não tem mais nada que fazer do que perder uns 10 minutos só a tentar descobrir onde vos colocar? Que mimadas! Parem de se achar o centro da folha, uma folha é mais do que a vossa presença. Uma folha é também as ideias que contém, bem como as brincadeiras que as palavras fazem umas com as outras, com ou sem vírgulas!

Para acabar, não pensem que o facto de eu estar a escrever isto com a vossa presença significa que estou a dar-vos razão e maior importância do que aquela que merecem. Não, escrevo convosco por mera piedade, não perdendo, no entanto, nenhum tempo a pensar se estão bem colocadas ou não. É esta hoje a minha forma de vos castigar. Mas continuem a ser assim tão mimadas que eu conto-vos uma história. Hão-de ver, se continuam assim, com esse comportamento de típicas vírgulas, sempre a prolongar e a continuar algo, que neste caso irrita, coloco um ponto final no assunto!

Carlos Walgood Santos (Participação especial)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s